Pages

trazer o amor ao mundo ♥

Enquanto me deslizavam pelo corredor em direcção ao bloco de partos e sentia o nosso filho a querer conhecer o mundo, senti sobre mim a enorme responsabilidade do que estava prestes a acontecer. Seria eu, e apenas eu, com quem tu e o nosso filho poderiam contar para que tudo corresse bem. A nossa vida estava dependente do que o meu corpo poderia ou não conseguir fazer nos próximos minutos. Comecei a tremer na maca fria, descontroladamente. Procurei-te mas sabia à partida que te estavam a preparar. Encontrei o olhar de uma enfermeira que me disse que estava tudo bem, era uma reacção perfeitamente normal. Ainda antes de ti entrou o meu médico, com o seu jeito descontraído, seguro, mãos grandes e postura protectora. Olhou-me nos olhos e disse Vamos fazer isto os dois, em equipa? Respirei fundo e tremi um sim com a cabeça. Enquanto ele se preparava fechei os olhos e senti a energia a mudar, para melhor, para algo mágico prestes a acontecer. Não ouvia ninguém para além dele, não sentia nada para além das contrações que aproximavam o nosso amor pequenino deste mundo. Caí num silêncio selectivo e quando já estava perfeitamente alinhada com a força do meu corpo é que me apercebi que estavas já ao meu lado. Quase não te reconheci com a touca, a máscara e a concentração que exigia o momento mais importante das nossas vidas. Deste me a mão, olhaste-me dentro dos olhos e disseste tu consegues, respira fundo. Durante aqueles minutos sentia-me a pairar entre a tua voz, a voz do meu médico e o que o meu corpo me dizia a alto e bom som. Concentrei toda a força do mundo para fora de mim, para te dar uma extensão de ti. Calmamente, sem pressa, sem medo, sem receio. O nosso filho chegou a nós num ambiente relaxado, carregado de magia e ternura, depois de 24 horas de trabalho de parto que começou quando ele quis chegar. E chegou. Mais cedo que o esperado mas com todo o amor do mundo. Foi, provavelmente, o momento mais bonito da minha vida, de uma leveza que nunca esperei. Foi provavelmente o momento em que mais te amei na minha vida, também. Porque sem ti não tinha conseguido ouvir a voz do amor.




SHARE:

mala da maternidade ♥

Uma das maiores dúvidas de mães de primeira viagem é o que levar para a maternidade. As diferentes estações do ano parecem divergir opiniões e listas. Depois de muitas pesquisas, tanto de hospitais privados como públicos, esta é a minha lista com o que é necessário para aqueles dois/três dias na maternidade, consoante parto normal/cesariana.

A minha mala

·         Documentos (Cartão Cidadão, Seguro, etc)
·         Boletim de Grávida
·         Últimas análises e ecografias
·         Telemóvel
·         Carregador
·         4 camisas de noite com abertura à frente
·         Roupão
·         Chinelos de quarto e de banho
·         3 soutiens de amamentação
·         Discos de amamentação
·         Pomada de lanolina 
·         Cuecas descartáveis
·         Pensos higiénicos pós-parto
·         Maquilhagem
·         Escova Cabelo
·         Produtos de Higiene
·         Roupa para saída da maternidade




Mala do Sebastião

·         3 conjuntos completos para receber visitas (bodies interiores manga comprida/curta, calças de algodão interiores, fofos/cueiros, casaco, gorro, botinhas/meias)
·         3 conjuntos completos para a noite (bodies interiores manga comprida/curta, calças de algodão interiores, babygrows, gorro, botinhas/meias)
·         2 mantas
·         4 fraldas de pano
·         Fraldas descartáveis (média de 10 por dia)
·         Produtos de banho (Gel lavante, Creme Hidratante, Creme muda da fralda)
·         Lima de papel para unhas
·         Escova macia para cabelo
·         Chucha


Como estamos no verão as roupas que levo são todas de algodão fresquinho.

Alguma coisa que me esteja a esquecer?
SHARE:

procura-me com os olhos

Não foi fácil fazê-lo sem ti. Mais difícil ainda é admiti-lo. E não falo de fazê-lo sem ti fisicamente, mas emocionalmente quase nunca cá estiveste. Desde o início que percebi que não iria ser a fase mais bonita da minha vida. Uma complicação arterial obrigou-me a vir cedo para casa e ao mesmo tempo começaste uma nova posição profissional que te ocupa todo o tempo disponível. O resultado ao início foi desastroso. Eu queria atenção, tu querias atenção. Eu não queria ouvir os teus problemas e tu não davas importância aos meus. Houve momentos em que perguntámos em silêncio o porquê de ter sido naquela altura, se íamos ter capacidade para ultrapassar isso. Eu guardava tudo cá dentro, tu deitavas tudo para fora. Não havia o brilho, as fotografias, as escolhas, as conversas duravam pouco tempo, o pouco tempo que havia para nós. Houve muito silêncio dentro destas quatro paredes, muita solidão, muitos pensamentos estranhos, muitas incertezas. Muitas noites e compras decisivas sem ti. Depois parámos e decidimos que tínhamos de fazer alguma coisa acerca disso. Eu deixei de ser egoísta em relação ao que se estava a passar, tu deixaste de ser negativo em relação aos teus dias. E agora estamos num bom equilíbrio que, muito em breve, vai mudar para sempre. Quero dizer-te que talvez seja eu a próxima a ausentar-me. Que posso estar aqui física, mas não emocionalmente. Que quero que tentes contrariar isso, que quero ter olhos também para ti. Peço-te já desculpa por estar demasiado envolvida com quem vai chegar à nossa família muito em breve, dizem ser normal, que depois passa. Mas eu sei o quanto precisas de mim, o quanto preciso de ti e o quanto precisamos dos dois. O quanto precisamos de olhar apenas um para o outro. Porque só funcionamos assim.


SHARE:

o quarto do Sebastião ♥


Estamos em contagem decrescente. Faltam apenas algumas semanas para o Sebastião ensinar-nos o que é o maior amor do mundo. 



Este quarto foi feito com muito carinho e serenidade, todas as coisas escolhidas com extremo cuidado. Todos os materias são do mais natural possível, cores neutras e cheias de luz, pormenores pequeninos e muito minimalismo. 



Muitas coisas feitas à mão, por pessoas que lhe querem muito bem. 
Muita simplicidade para o amor que está prestes a chegar à nossa família

SHARE:

confiar nos produtos naturais ♥

Nesta demanda por uma vida com decisões mais conscientes, saudáveis e livres de produtos menos bons, pesquisei imenso sobre o que poderia iniciar com o Sebastião. Não queria fazer tudo à pressa, com as coisas a que estamos habituados. Assim sendo decidi lavar todas as roupas à mão, com sabão de Marselha, estendê-las com molas de madeira, com a mais pura das ternuras. 


Todas as vezes que estou no quarto dele ponho música ambiente para relaxar, de forma a que ele associe a momentos de bem estar quando estiver cá fora. Limpei todos os móveis com óleo essencial de lavanda diluído em água, que li ser um poderoso desinfectante, antibacteriano e que afasta as más energias. Tenho saquinhos de lavanda pendurados no roupeiro e na cómoda. Não uso outros detergentes naquele espaço. 


Comecei também a usar produtos mais naturais no banho, da Cowshed, e para hidratar a pele o tão famoso Óleo de Amendoas Doces prensado a frio.


Tudo muito simples e cheio de luz que vou partilhar no próximo post :)

Mais alguma dica da vossa parte?
SHARE:

alimentação consciente♥




A nossa vida tem mudado aos poucos cá em casa. Tenho lido imenso sobre estilos de vida mais saudáveis, o que devemos integrar na nossa alimentação, tudo muito fundamentado e nada feito ao acaso.





Todos os livros apontam numa única direcção: é a nossa alimentação a chave de tudo. Para vivermos mais tempo, com mais qualidade de vida, para evitar doenças, melhorar doenças crónicas, sentirmo-nos melhores com o nosso corpo.


Despertei mais urgentemente para este assunto desde que estou grávida. Afinal estou a formar uma pessoa a partir do que incluo na minha alimentação e não me estava a sentir confortável com certos produtos alimentars que esxistiam cá por casa. O truque é simplesmente não os comprar. Tão simples quanto isso.

O leite desapareceu, o queijo foi super reduzido, o açúcar passou a mascavado e só é utilizado em sobremesas quando recebemos visitas. Não entra carne de vaca e porco cá em casa há meses. Continuamos a consumir frango e peixe local, damos prioridade à agricultura biológica sempre que é possível.

Mas a maior mudança é, sem dúvida, emocional, se lhe posso chamar assim. Porque continua a apetecer-me batatas fritas e hamburgueres. Porque quando me apetece meeeeeeesmo não me privo de os comer. Mas enquanto os estou a comer já não me saciam como antes. Estou sempre a pensar no quanto estou a maltratar o meu corpo e as minhas células. E acabo por deixar a meio.



Assim, para finalizar as nossas férias fomos almoçar à Quinta do Arneiro, a cerca de 30 minutos de Lisboa. Fizemos a visita guiada, almoçamos no restaurante e trouxemos produtos biológicos da mercearia. Que maravilha. Uma experiência a repetir sem demora!




SHARE:
© O que vem à rede é peixe. All rights reserved.